quarta-feira, 19 de abril de 2017

Veneno

Eu sangrei menos
quando me passei por outro.
A hemorragia foi interna.
Agora, outro se passou por mim
e eu fiquei aqui sangrando.
Também fiz sangrar
a quem agredi.
Foi o tal tumor da ira.

Deve se sentir assim
o melhor assassino.
Quem melhor mata,
se mata aos poucos.

Melhor deixar passar
quem tem verdadeira pressa.
Melhor adiar o erro
já que o depois não existe.
Melhor ser melhor agora
enquanto eu sou eu.

A minha revolta pode ser eu.
O meu isolamento também.
A minha acidez e a careta.
O meu veneno também,
desde que eu não seja peçonhento. 

Apenas quem eu sou
já me faz pessoa inteira.
Não preciso sair do eixo. 
Sou lua cheia de fases.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Impressão

um cavalo imprime no solo
um C de casco
um C de calçado
um C de correr
um C de cavalgar

eu, no meu passo analfabeto,
deixo muito pouco pra se ler

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Quase gente

um tanto egoísta
mas gente
um pouco além da proposta
indiferente
querendo mais do que um animal
inconsequente

e ainda ama
quem engole
ou será que mata
o que recolhe
no coração
aquele sentimento
longe da mão
escondido no peito

dentro do uniforme
mas gente
um pouco sanguinário
mas gente
visando ser proprietário
de perfeição deficiente

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Desafinar

Indignado
Quando o que digo faz sentido
E alguém discorda
Esse alguém é aquela pessoa
Que diz sempre não

Indignado
Quando critico o estuprador
Pelo seu gosto musical
E sou julgado
Por julgar o horror

Indignado
Porque tenho oposição
Não ter apoio surpreende
Preciso de um cofre
Descobri que tenho segredos

Pior que desafinar cantando
É desafinar falando